Sigam-me os bons.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Cunha afirma que o impeachment foi acertado entre ele e Temer no dia 30 de Novembro de 2015 no Jaburu.

Cunha deixa desculpas de Temer nuas na praça

trairagem
A Folha publica os dois pontos da “nota oficial” de Eduardo Cunha, diretamente da cadeia curitibana. Ambos deixam sem chão as desculpas usadas por Michel Temer para fugir da delação da Odebrecht que o apontou como o “presidente” de um acerto de US$ 40 milhões por um contrato na Petrobras e a segunda em que, “casualmente”,  ficou sabendo que Cunha decidira aceitar os pedidos e por em marcha o impeachment de Dilma Rousseff.

Sobre a reunião, claro que sem se inculpar no achaque, o ex-presidente da Câmara diz que foi Temer quem marcou a reunião com os executivos da Odebrecht, dando a entender que o então candidato a vice-presidente sabia tudo o que envolvia a gorduchíssima “contribuição financeira ao PMDB.
Na questão do impeachment, é ainda pior: Cunha diz que os termos do despacho que autorizou o início dos ritos de impedimento foram “preparado por advogados de confiança mútua, foi debatido e considerado por ele (Temer) correto do ponto de vista jurídico”.
“O verdadeiro diálogo ocorrido sobre o impeachment com o então vice-presidente, às 14 horas da segunda-feira, 30 de novembro de 2015, na varanda do Palácio do Jaburu, 48 horas antes da aceitação da abertura do processo de impeachment foi submeter a ele o parecer que aceitava o impeachment”
Temer é um cínico desmascarado. Tão vil que, a rigor, não merece sequer a confiança de seus cúmplices. Nem mesmo a ética dos bandidos tem.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Lula fala aos russanos:

Força Lula

Governar é cuidar do povo

Pela valorização do magistério

Blogs Russanos

O PT tem os defeitos de todos os partidos, mas nenhum tem as suas virtudes.

Image and video hosting by TinyPic

Privataria Tucana