Sigam-me os bons.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Lula critica politica externa de Serra e afirma que Dilma vai voltar.

Lula critica Temer: Ele deveria governar de forma interina Em entrevista a jornalistas estrangeiros, ex-presidente destacou que Dilma pode reverter a votação no Senado. Ele criticou, também, política externa de Serra
Política#NãoAoGolpe #ForaTemer Foto: Ricardo Stuckert
Postado por Agência PT, em 20 de maio de 2016 às 16:31:44

Na última quinta (19), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu entrevista para jornalistas estrangeiros na sede do Instituto Lula para falar do momento conturbado e anti-democrático que o Brasil está vivendo. As entrevistas foram dadas para a Russian Today, Telesur e TVE (Espanha).

Lula criticou o fato de o presidente golpista Michel Temer estar tomando medidas como se já fosse presidente de fato. De acordo com líder petista, a atitude é uma falta de respeito com o Senado, que ainda não decidiu em definitivo sobre o afastamento ou não de Dilma. “O novo governo está dando um golpe agora nos senadores. Os senadores aprovaram apenas a admissibilidade e Temer é um presidente interino. Então, ele tem que governar de forma interina durante esse período. Mas ele já tomou posse de verdade”.

Sobre o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff, Lula foi enfático. “Nós vivemos um momento muito delicado. A nossa democracia foi ferida, eu diria, quase que mortalmente. É muito tempo de democracia [desde 1985] e já sofremos um golpe”.

Para ele, não havia motivos legais para o afastamento da presidenta. “O que aconteceu no Brasil foi uma violência contra os direitos elementares da democracia no mundo. Uma maioria conservadora resolveu sacar uma presidenta do seu mandato porque não gosta da dela. Não há nenhum crime, nenhuma acusação, provada ou legal contra a presidenta Dilma. Não admitiremos que em pleno século 21 um governo ilegítimo governe o Brasil”.

Segundo Lula, a presidenta eleita precisa reverter apenas seis votos no Senado para voltar a ocupar o cargo para o qual foi eleita democraticamente.

“Dilma depende de mudar a cabeça de seis senadores. Não é uma missão impossível. Quem convenceu 54 milhões de brasileiros a votar nela, não vai ter dificuldade, se houver dedicação, de convencer seis senadores”


“Dilma depende de mudar a cabeça de seis senadores. Não é uma missão impossível. Quem convenceu 54 milhões de brasileiros a votar nela, não vai ter dificuldade, se houver dedicação, de convencer seis senadores”





O ex-presidente diz que, para barrar o golpe, são necessárias mobilizações populares e comunicação com os senadores. “A presidenta precisa conversar com os senadores para provar o equívoco histórico que está sendo cometido”.

Erros de Serra
O repórter perguntou a Lula se a posse de José Serra (PSDB-SP) como ministro de Relações Exteriores enfraquecerá a relação do Brasil com a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e os Brics (acordo comercial entre Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). O ex-presidente fez críticas à visão elitista que Serra representa.

“A elite brasileira sempre foi muito submissa aos Estados Unidos. Sempre achou que quanto mais submissa fosse aos Estados Unidos e à União Europeia, mais iriam fazer as coisas para o Brasil. É um ledo engano. Uma coisa que aprendi na vida: ninguém respeita quem não se respeita”.

Para ele, o papel diplomático do Brasil é o de respeitar todas as nações, independente do seu tamanho ou poder econômico. Até porque, disse Lula, política internacional não é apenas comércio, mas segurança, meio ambiente e diversos outros temas.

“Um país pequeno como Cabo Verde ou da América Central têm que ser tratados com o mesmo respeito que se trata os Estados Unidos. O Brasil está voltando, como disse Chico Buarque, a falar fino com os Estados Unidos e grosso com a Bolívia. Nós falamos igual com todo mundo”.

Brasil e Argentina, disse Lula, chegaram a ter R$ 49 bilhões de fluxo comercial. Com a Venezuela – “que a elite brasileira tem um preconceito enorme” – tem um fluxo comercial igual ou maior do que com a Itália, explicou o ex-presidente.

“Eles vão virar as costas outra vez, como sempre fizeram, para a América do Sul, não enxergar a África e os Brics. Me parece que eles não têm tamanho da importância do Brics. É metade da população mundial”.

Candidato?
Lula diz que, a princípio, não pretende se candidatar às eleições presidenciais de 2018. “A única possibilidade de eu voltar é evitar a destruição das políticas de inclusão social que nós fizemos neste País”.

Ele lembrou que, em 2010, durante a campanha eleitoral que elegeu Dilma pela primeira vez, não havia um político que tivesse coragem de falar mal do governo Lula. “É resultado da política de inclusão social mais importante já feita na história deste País”.

O ex-presidente afirmou que seu sonho – que em parte já foi realizado – é o de construir “uma sociedade em que todos possam tomar café da manhã, almoçar e jantar, que todos tenham sua casa, seu carro, sua televisão, sua geladeira, seu computador”. Além disso, diz que pretende que todos possam ir ao cinema, ao teatro, ao restaurante.

“É o mínimo que podemos oferecer ao povo”, destacou.

Ele, porém, garantiu que esse projeto corre perigo, e afirmou: “Devemos nos preparar para muita luta mais”.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Lula fala aos russanos:

Força Lula

Governar é cuidar do povo

Pela valorização do magistério

Blogs Russanos

O PT tem os defeitos de todos os partidos, mas nenhum tem as suas virtudes.

Image and video hosting by TinyPic

Privataria Tucana