Sigam-me os bons.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Lula sabe que no campo político derrotará Moro.


Helena Chagas: Lula conseguiu tirar Moro do sério, e quem perde é o juiz
ter, 25/04/2017 - 12:57
Atualizado em 25/04/2017 - 12:57
Jornal GGN - O ex-presidente Lula tem obtido relativo sucesso em sua estratégia de politizar a Lava Jato e os processos que enfrenta nas mãos do juiz Sergio Moro. Além disso, conseguiu tirar o magistrado do sério. Prova disso é que Moro perdeu a razão quando obrigou o petista a presenciar o depoimento de 87 testemunhas de defesa por considerar o número "excessivo".

Para Helena Chagas, Moro é quem mais perde nesse jogo, embora tenha as armas necessárias para sair vitorioso.

"O juiz, que embora ainda tenha enorme apoio da opinião pública, corre o risco de desgastar-se ao entrar em campo e começar a chutar o adversário, saindo da posição de árbitro e virando jogador. Não precisa. Quem manda no campo e apita o fim do jogo é ele."

Por Helena Chagas

Lula puxa Moro para briga no campo político

Em Os Divergentes

Ainda assistiremos a muitos rounds da luta entre os titãs Lula e Moro até o desfecho previsível de um embate em que um lado tem o poder de condenar o outro. Todo mundo sabe que o juiz Sérgio Moro vai condenar o ex-presidente Lula, e a dúvida é só quando isso vai acontecer. Nesse meio tempo, porém, o ex-presidente vem sendo bem sucedido na estratégia que lhe resta: politizar ao máximo o processo, o que quer dizer puxar o juiz para duelar em seu campo.

O objetivo claro de Lula é eivar o processo de atitudes questionáveis do juiz, movidas por sentimentos e propósitos aparentemente fora dos autos, que mais adiante possam ser objeto de contestação judicial e engrossar uma narrativa na qual ele ocupa o papel de vítima.

E tem conseguido tirar Moro do sério, como por exemplo no momento em que o juiz determina que o réu ex-presidente seja obrigado a assistir presencialmente os depoimentos de 86 testemunhas convocadas por sua defesa – decisão, aliás, na qual o próprio Moro parece estar voltando atrás. Pode até não ser razoável convocar 86 testemunhas, mas se a lei faculta isso ao acusado, o juiz tem que aceitar e fazer cara de paisagem, sem represálias.

Da mesma forma, Lula e o PT querem transformar o depoimento do ex-presidente em Curitiba – o primeiro embate cara a cara – num evento político, cheio de manifestantes. Muito provavelmente, vão conseguir, e pega mal para Moro adiar ou mudar o dia de surpresa para desmobilizar isso. No momento, está parecendo um jogo de gato-e-rato – e não a condução de um processo judicial – em que o PT organiza a manifestação e o juiz tenta esvaziá-la.

Quem perde mais com esse jogo? O juiz, que embora ainda tenha enorme apoio da opinião pública, corre o risco de desgastar-se ao entrar em campo e começar a chutar o adversário, saindo da posição de árbitro e virando jogador. Não precisa. Quem manda no campo e apita o fim do jogo é ele.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Lula fala aos russanos:

Força Lula

Governar é cuidar do povo

Pela valorização do magistério

Blogs Russanos

O PT tem os defeitos de todos os partidos, mas nenhum tem as suas virtudes.

Image and video hosting by TinyPic

Privataria Tucana