Sigam-me os bons.

sábado, 9 de agosto de 2014


Uma das coisas boas de minha vida foi conhecer a pedagogia de Celestin Freinet.
 
CELÉSTIN FREINET (1896 – 1966) nasceu na França e foi um dos educadores que mais marcou a escola fundamental de seu país no século XX. Atualmente, suas idéias são estudadas em várias partes do mundo, da pré-escola à universidade. Para este educador, a escola deve ser sempre uma experiência aberta.
 
A pedagogia freinetiana, segundo a qual se deve “aprender fazendo”, vê na própria criança o sujeito construtor do seu próprio conhecimento quando na construção do fazer e refazer de atividades que não devem ser apenas brincadeiras vazias, mas trabalho. 
 
Veja o texto abaixo para enriquecer ainda mais as nossas belas discussões sobre "conhecimento prévio"

 
PÃO E ROSAS
 
As crianças precisam de pão e de rosas.
O pão do corpo, que mantém o indivíduo em boa saúde fisiológica.
 
O pão do espírito, que você chama de instrução, conhecimentos, conquistas técnicas, esse mínimo sem o qual corremos o risco de não conseguir a desejável saúde intelectual.
 
E das rosas também – não por luxo, mas por necessidade vital.
 
Observo o meu cão. Claro, precisa comer e beber para não ter fome e não ficar desesperado, com a língua de fora. Mas tem mais necessidade ainda de uma carícia do dono, de uma palavra de simpatia ou, às vezes, só de uma palavra; do afeto que lhe dá o sentimento do lugar, o qual desejaria muito grande, que ocupa no mundo em que vive; de correr por entre as moitas ou só uivar demoradamente nas noites de luar, talvez para ouvir ressoar a própria voz, como se ela abalasse magnificamente o universo.
 
As crianças têm necessidade de pão, do pão do corpo e do pão do espírito, mas necessitam ainda mais do seu olhar, da sua voz, do seu pensamento e da sua promessa. Precisam sentir que encontraram, em você e na sua escola, a ressonância de falar com alguém que as escute, de escrever a alguém que as leia ou as compreenda, de produzir alguma coisa de útil e de belo que é a expressão de tudo o que trazem nelas de generoso e de superior.
 
Essa nova intimidade estabelecida pelo trabalho entre o adulto e a criança, esse novo grafismo aparentemente sem objeto, valorizado pela matéria ou pela cor, esse texto eternizado pela imprensa, esse poema que é o cântico da alma, esse cântico que é como um apelo do ser para o afeto que nos ultrapassa – é de tudo isso que vive a criança, normalmente alimentada de pão e conhecimentos, é tudo isso que a engrandece e a idealiza, que lhe abre o coração e o espírito.
 
A planta tem necessidade de sol e de céu azul, o animal não degenerado pela domestificação não sabe viver sem o ar puro da liberdade.
A criança precisa de pão e de rosas.
 
(Célestin Freinet, Pedagogia do Bom Senso, p. 104-105 )

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Lula fala aos russanos:

Força Lula

Governar é cuidar do povo

Pela valorização do magistério

Blogs Russanos

O PT tem os defeitos de todos os partidos, mas nenhum tem as suas virtudes.

Image and video hosting by TinyPic

Privataria Tucana