Sigam-me os bons.

sábado, 23 de novembro de 2013

Globo, Veja, Folha e Estadão decidem que o PT é o responsável pela roubalheira aos trens e e metrô de São Paulo.

 

Midiazona decide que o responsável pela corrupção tucana é o ministro do PT

RENATO ROVAI

Estima-se que o cartel dos trens de São Paulo e Distrito Federal pode ter superfaturado os serviços em R$ 577 milhões. Mas não seriam os tucanos que deveriam dar explicações? Qual nada. Quem deve explicações é o ministro da Dilma, que é do PT

 

(artigo originalmente publicado na revista Forum)

É impressionante como os casos de corrupção têm dois pesos e duas medidas na mídia tradicional paulista (leia-se Folha, UOL, Estadão, Veja, Globo). Na recente máfia dos auditores fiscais, denunciada pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, as atenções se voltaram contra o secretário de governo Antonio Donato. A máfia que cobrava propina de construtoras em troca de desconto no ISS (Imposto Sobre Serviço) atuava nas gestões Serra e Kassab, e foi desvendada graças à investigação da atual prefeitura que criou a Controladoria Geral do Município. Estima-se que o esquema tenha causado prejuízo de até R$ 500 milhões aos cofres públicos. Mas a mídia voltou todas as atenções de sua cobertura para Antonio Donato, que de forma decente pediu exoneração do cargo para se defender sem causar desgaste à gestão Haddad. Nesta semana, Donato volta à Câmara Municipal para exercer seu mandato de vereador, o mais votado do PT.

Depois de blindar Serra e Kassab e derrubar um secretário de Haddad, o caso dos auditores perdeu destaque, já não ocupa as manchetes dos jornalões e seus portais. Aliás, foi emblemática a capa da Folha de S. Paulo de 8/11, que trazia como manchete “Prefeito sabia de tudo, diz fiscal preso, em gravação”. A frase induzia o leitor a associar a denúncia ao prefeito de São Paulo, que é Fernando Haddad, mas o fiscal estava se referindo a Kassab, o ex-prefeito da cidade.

Agora a história se repete. Revelado mais um caso de corrupção envolvendo tucanos, quem passou a ser cobrado por explicações é o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Na última quinta-feira (21), foi divulgado um relatório entregue ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), onde o ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer cita diversos políticos do PSDB como beneficiários de propinas pagas pelo cartel dos trens em São Paulo.

Rheinheimer afirma ter “uma série documentos que provam a existência de um forte esquema de corrupção no Estado de São Paulo durante os governos (Mário) Covas, Alckmin e (José) Serra, e que tinha como objetivo principal o abastecimento do caixa 2 do PSDB e do DEM”. São citados no relatório o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), os secretários estaduais José Aníbal (Energia), deputado (PSDB-SP); e Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico), do DEM.

Estima-se que o cartel dos trens de São Paulo e Distrito Federal pode ter superfaturado os serviços em R$ 577 milhões.

Dois dias depois de revelada o suposto envolvimento com os políticos, as manchetes dos jornais dizem que o ministro da Justiça do PT deve explicações sobre a denúncia contra tucanos.

Mas não seriam os tucanos que deveriam dar explicações? Não seria hora de exigir que se expliquem e cobrar o governador para afastas os denunciados?

Qual nada. Quem deve explicações é o ministro da Dilma, que é do PT. É ele que tem que explicar como políticos tucanos podem estar envolvidos em denúncias de corrupção.

Em nota, o ministério da Justiça “esclarece que, tendo recebido do deputado Simão Pedro denúncias, acompanhadas de documentos, envolvendo a ocorrência de eventuais atos ilícitos na execução de obras do metrô de São Paulo, encaminhou-as, no estrito cumprimento do dever legal, à Policia Federal (PF) para as devidas investigações. O Ministério reafirma que a documentação não foi encaminhada à PF pelo Conselho Administrativa de Defesa Econômica (Cade)”.

A Polícia Federal é submentida ao ministério da Justiça, assim como o Cade. Já o deputado estadual licenciado Simão Pedro (PT-SE) é autor de representações ao Ministério Público sobre o cartel. Vale lembrar que é papel do parlamentar enquanto poder Legislativo investigar irregularidades na aplicação de verbas públicas municipais e estaduais.

Vale a teoria do “domínio do fato” também neste caso. É preciso criminalizar alguém do PT, mesmo que ele seja o investigador ou denunciante. Foi assim com Donato. Está sendo agora com Simão Pedro e José Eduardo Cardozo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Para mudar Russas como Lula mudou o Brasil

Lula fala aos russanos:

Força Lula

Governar é cuidar do povo

Pela valorização do magistério

Blogs Russanos

O PT tem os defeitos de todos os partidos, mas nenhum tem as suas virtudes.

Image and video hosting by TinyPic

Privataria Tucana