Candidato ao senado, Ayres Britto quer se apresentar ao eleitor como o homem que mandou Dirceu para a cadeia.

 Ayres Britto quis condenar Dirceu
por Paulo Henrique Amorim.  
O simbolo da “gestão Ayres Britto” é o relógio
Na foto, a contribuição de Ayres Britto ao Surrealismo Judicial

O ansioso blogueiro perguntou a ilustre amigo navegante:

- Por que, Excelência, o Presidente Ayres Britto coonestou a “inovação” proposta pelo Ministro Barbosa e aceitou julgar o “núcleo político” antes e imediatamente, ou seja, julgar o José Dirceu ?

- Porque o Presidente Ayres Britto queria condenar o Dirceu antes de se aposentar.

- Não poderia ser outro dia ?

- Não. Se não fosse hoje, ele correria o risco de ir para casa sem a honra de ter condenado “o chefe da quadrilha”.

- Não seria essa, Excelência, uma dedução apressada, sem “domínio do fato ” ?

- Desculpe, mas o Brasil, como você sabe, tropicalizou a teoria do “domínio do fato”.

- Como assim, Excelência, “tropicalizou” ?

- Fica assim: dê-me o domínio que te darei o fato !

- Cruzes, Excelência !

- E mais: o que caracteriza a gestão Ayres Britto, que tinha prometido abrir a janela do Supremo para o sol entrar ?

- Ele fechou a janela de novo.

- Mais do que isso: ele foi o Rei do Relógio !

Pano rapido.

Paulo Henrique Amorim

Nenhum comentário: